29.1.08

A noite em que dormi com Elvis.

Cheguei em casa e ele já me esperava, uma coisinha preta e caramelo, com o rabinho abanando e se mijando de quando em quando.
O jeitinho de deitar é quase comovente, seus olhinhos caídos fizeram com que eu e meu pai o deixássemos aconchegados entre nós dois no sofá.
NO início seu nome era pra ser "ISPAIKE", mas decidimos que Elvis soava bem melhor.

Na hora de dormir foi quase triste, ele me viu indo pro quarto, me olhou com aqueles olhinhos piedosos como se dissesse: "-Vai me deixar aqui é, sua vaca!?". Não pude evitar, peguei sua casinha com o cheirinho verde dele e levei pro meu quarto.
Coloquei no cantinho, no chão, deitei na minha cama e evitei olhar pra cara dele, com a visão periférica notei que ele estava me olhando. Deitei na cama, ele continuou me olhando. Me cobri, ele continuou me olhando, liguei a tv, ele ainda me olhava...e assim foi.
Quando desliguei a luz, o recém nascido começou a choramingar, sem acender a luz eu me aproximei dele. Nem foi preciso mais nada, ele se encolheu contra meus pés e cochilou novamente. Bastava eu puxar o pé novamente pra voltar pra minha cama e já sentia ele se mexendo assustado.
Foi assim por duas vezes, até que na quarta vez eu deixei ele chorar um pouquinho...

Quando ele parou de chorar liguei a luz, ele estava lá ao lado da casinha, sentado e assutado!
Peguei ele com carinho e coloquei do meu lado na cama...ele não queria apenas ficar na cama, ele queria proteção. Foi se rastejando devagarzinho, como se pedisse permissão para que eu dividisse meu travesseiro com ele, hesitei um pouco mas novamente os olhos pidões me ganharam.
Adormecemos.

Por volta das 3 e meia da madrugada eu me acordei e acendi a luz, não por nada, mas apenas por um reflexo involuntário, e ele continuava lá, na mesma posição. Fiquei admirando por um tempo, mas não demorou muito pra que ele começasse e se mexer. Acordou, mas não quis atrapalhar meu sono, ficou me cheirando enquanto eu fingia estar dormindo. Recolheu-se novamente.

De manhã, me tirou da cama com leveza, brincou comigo até eu me levantar. Me seguiu até o banheiro e ficou me esperando, com muita calma até que eu escovasse os dentes.
Levei-o prá fora e logo ele pegou intimidade com os 4 gatinhos, ficou lá, cheirando qualquer coisa.

O Elvis tem orelhas maiores que o rosto, patas grandes, também maiores que o rosto. Cheirinho de ração e olhos pidões.
É o Elvis mais lindo do mundo, aposto!

4 comentários:

Andressa... Dessa...("Já que sou, o jeito é ser") disse...

ele é a cara da Holly..

e graças a Deus vcs trocaram o nome do pobrezinho...
eu vou chamar ele de 'meu rei'
:)

laine. disse...

Meu Rei!

é assim que eu chamo teu irmão =P

Paulo disse...

Você se superou nesse texto! Deu pra sentir com exatidão o carinho que tu sente pelo Elvis!

E viva O Rei! \o/

Beijos

Adele Corners disse...

Ah, que graciiiiiiiiiiiiinha!!!

Tô louca pra conhecer.

(e agora a gente pode ficar fofocando e trocando experiências sobre filhotes. Adoro isso)